segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Abreu Amorim: "O Estado deve ter mais autoridade" contra a ganância

Em entrevista ao Público, Carlos Abreu Amorim, coordenador do PSD, em análise à situação do BES, revela que deixou de ser um liberal pois acredita que o Estado deve ter mais força e autoridade para impedir que haja pessoas que o querem enganar ou dissimular.


Foi em análise à Crise BES e à Comissão Parlamentar de que estão a ser alvo os envolvidos no caso, que Carlos Abreu Amorim, em entrevista ao Público, revela que este foi um caso que o deixou “banzado”.

O coordenador do PSD, ciente da importância que os agentes políticos e sobretudo económicos têm vindo a ganhar na sociedade, revela que deixou de ser liberal e defende agora que deve haver mais autoridade por parte do Estado.

“A lógica do liberalismo económico tem uma contradição insanável com a natureza humana. O agente económico deve ter regras e devem existir instituições que forcem a sua aplicação. Caso contrário, a ganância, a prevaricação, o instinto de fuga às regras…”, afirmou o político, para depois revelar: “já não sou liberal”.

Carlos Abreu Amorim defende que deve haver mais “autoridade do Estado” e que é errado pensar-se que o “comportamento natural do homem tende à boa composição as coisas”.

“O Estado tem de ter força. Se o Estado não tiver força, é de natureza humana que surjam pessoas que vão prevaricar, enganar, vão dissimular, vão martelar contas e isto é mesmo assim”, atira.

Publicado originalmente no Notícias do Minuto