terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Aécio foi fraude a do PSDB e deverá ficar de fora em 2018

Claro que o Aécio foi uma fraude do PSDB que não deu certo, por isto o jogo agora deverá ser com José Serra ou Geraldo Alckmin.
Serra tem bagagem política e jogo de cintura que o Aécio não tem, foi um dos candidatos a senador com melhor pontuação em 2014, além de ser considerado o melhor Ministro da Saúde que o Brasil já teve.
Alckmin também tem uma vasta experiência política e, mesmo com seu fraco desempenho junto à da Sabesp, a falta de água em São Paulo e, tendo a frente um opositor forte, conseguiu se eleger governador neste ano.
Vejo que cada um destes, supostos candidatos do PSDB, à presidência em 2018, mesmo tendo perdendo a vaga para o Lula, em eleições anteriores poderão dar a volta por cima e, sem demagogia, orgulho e pretensão, suprir as falhas do Aécio, tendo, portanto, grandes possibilidades de “bater” o Lula.
(Amorim Sangue Novo)

PT se prepara para encarar Alckmin ou Serra nas próximas eleições

Texto distribuído pela Agência PT de Notícias encampa a análise dos 247 (leia aqui) sobre o ranking de Veja que classificou Aécio Neves (PSDB-MG) como o pior senador do País. De acordo com o Partido dos Trabalhadores, que já tem o ex-presidente Luiz Ineacio Lula da Silva como pré-candidato à presidência da República, em 2018, o adversário virá de São Paulo – será ou o governador Geraldo Alckmin, batido por Lula em 2006, ou o senador eleito José Serra, superado em 2002.
Leia, abaixo, o texto postado pela Agência PT:
Aécio Neves fora da disputa e o ressurgimento das pré-candidaturas presidenciáveis Geraldo Alckmin e José Serra para 2018, pelo PSDB. Essa é a interpretação da mídia para a nota zero que a revista “Veja” deu ao senador tucano e candidato derrotado nas eleições de outubro, Aécio Neves, pela atuação pífia que o mineiro teve no parlamento no decorrer da atual legislatura.

“Será que as elites paulistas já começam a definir que ele (Aécio) não será candidato em 2018? ”, questionou o site Brasil 247 desse sábado (27).

Para o portal, essa é uma explicação plausível para a escolha de Aécio pela revista semanal como “pior senador brasileiro” entre os 81 que compõem o Senado Federal.
“Com Aécio fora do jogo, restam dois favoritos o governador Geraldo Alckmin e o senador José Serra”, especula o Brasil 247, definindo o ranking de Veja como surreal. “A guinada (de Veja) equivale a um cavalo de pau num transatlântico”, comparou.
O noticioso recorda que “Veja sempre foi tucana e rompeu qualquer barreira da ética jornalística na disputa presidencial de 2014”, ao engajar como nunca numa campanha presidencial. Foi a forma que a publicação achou para exercer sua preferência eleitoral anti-petista.

“E se isso não fosse o bastante, Veja ainda deu nota zero para seu desempenho – aquela que nem os professores mais rigorosos cravam nos piores alunos”, observou a 247, que destacou o grande número de internautas que visitaram o ranking de Veja. “Às 17h50, já havia gerado mais de 20 mil compartilhamentos no Facebook”, registrou.
“Ao que tudo, indica Veja decidiu desembarcar de Aécio Neves, a partir de alguma ordem vinda da cabine de comando. Quem terá sido o comandante? O governador Geraldo Alckmin? O senador eleito José Serra? Os banqueiros Roberto Setúbal e Pedro Moreira Salles, do Itaú Unibanco?”, pergunta-se a publicação, para quem Aécio “dificilmente conseguirá se recolocar como candidato presidencial”.

Brasil 247 associou o episódio do ranking à declaração que Aécio deu à Folha de S. Paulo na semana passada, de distanciamento a uma nova tentativa de candidatura. “Talvez por isso mesmo Aécio tenha se mostrado distante de uma nova candidatura, quando foi questionado sobre a possibilidade”, refletiu, transcrevendo a pergunta:
– “Mas o senhor pensa em ser candidato novamente?”, questionou a Folha.

– “Não mesmo. Talvez já tenha cumprido o meu papel. O candidato vai ser aquele que tiver as melhores condições de enfrentar o governo. Meu papel é manter a oposição forte. O governador de São Paulo Geraldo Alckmin] é um nome colocado e tem todas as condições. Outros nomes serão lembrados”, respondeu o tucano.

Por Márcio de Morais, da Agência PT de Notícias


Publicado originalmente no Brasil247