segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Bon vivant e debochado, Marco Archer “pediu” a morte



Leia:

Algumas frases do Marco Archer, ao repórter Renan Antunes de Oliveira:

“Sou traficante, traficante e traficante, só traficante”.

“Nunca tive um emprego diferente na vida”

“Não posso me queixar da vida que levei”.

“Nunca fiz nada na vida, exceto viver do tráfico.

“Se eu fosse respeitar leis nunca teria vivido o que vivi”.

Frases do repórter Renan Antunes de Oliveira, que entrevistou Marco Archer em 2005

”Gabava-se de não ter servido ao Exército, nem pagar imposto de renda. Nunca teve talão de cheques e ironizava da única vez numa urna: “Minha mãe me pediu para votar no Fernando Collor”.

Sabe-se que ele pediu uma garrafa de uísque Chivas Regal na última refeição e que uma tia teria lhe levado um pote de doce-de-leite.

“Para mim, o homem só disse que estava arrependido de uma única coisa: de ter embalado mal a droga, permitindo a descoberta pela polícia no aeroporto.”

Leia também:

A casa caiu para o brasileiro traficante OU o Curumim não era nenhuma criança >>>

Indonésia pede respeito a suas leis após críticas por causa de execuções >>>                     

Holanda se une ao Brasil em condenação à barbárie >>>

Comentário do apresentador da Rede Bandeirantes Luiz Bacci
Este é o homem que disse não à Dilma. Joko Widodo chefe de estado da Indonésia deixou bem claro que o brasileiro seria fuzilado querendo a presidente ou não. E disse ainda pra avisar a todos traficantes que na Indonésia o sistema é bruto. Fumou maconha é cana. Vendeu droga é morte. Mexe com esse homem aí, mexe....