domingo, 25 de janeiro de 2015

Hoje é dia de sexo e eu vou dar três sem tirar de dentro

Apesar que todos os dias são dias bons para a prática do sexo, aos domingos normalmente estamos um pouco descansados após cinco dias de trabalho exaustivos e eu, para seu conhecimento e sabedoria estou oferecendo três estórias (sem tirar da página) que se referem a sexo.
Boa leitura... e que os prazeres da carne não seja só o do churrasco dominical.


Adicionar legenda

“E ela vivia me agradecendo por tê-la ensinado a gozar com penetração”
Meu tio Fábio, um homem sábio do interior, um dia me entregou um livro do Plutarco. Confesso que tremi diante da idéia de enfrentar, na inexpugnável solidão da leitura, as páginas com certeza brilhantes mas inevitavelmente árduas do grego. Mas, prático que é, e conhecedor das limitações de seu sobrinho como leitor, tio Fábio me avisou que desejava que eu lesse somente um trecho marcado numa determinada página.
Ali se contava a história de um soldado que salvara a vida de um rei numa batalha.

Um sábio imediatamente aconselhou o soldado a fugir. O soldado preferiu ficar, na esperança de ser recompensado pelo rei que salvara. Acabou morto. E logo. Quando terminei de ler essa história, imediatamente me lembrei de outro trecho de livro que tio Fábio me passara. Platão – tio Fábio sempre bebeu na sabedoria grega -. Contava que Sócrates disse mais ou menos o seguinte aos homens que o condenaram a tomar cicuta: que bem fiz eu a vocês para que me tratem assim?

As duas história tratam do mesmo tema: a ingratidão. E francamente: não sei por que iniciei minha coluna com a dupla história grega de ingratidão humana. Ou melhor. Sei sim. É que eu queria fazer uma conexão entre aqueles episódios e a vida amorosa. O fato cruel e inescapável é o seguinte: o amor é ingrato. O amor tem uma série de virtude: ele ilumina, ele embeleza a vida, ele torna divertido um congestionamento. Mas ele é ingrato como o rei que matou o soldado que o salvara e os atenienses que fizeram Sócrates beber cicuta.

Um amigo meu, Roni Maldonado, outro dia veio desabafar comigo. Ele acabara de romper com a namorada, uma loira de fazer cego olhar para trás, e ela além de gritar-lhe insultos arrebentou a pontapés a porta de seu carro. Roni é essencialmente um ingênuo do amor, um otimista das relações sentimentais. Ela sinceramente achava que, por fatos como ter arrumado um bom emprego para a namorada e num período de depressão ter-lhe até financiado um terapeuta de 120 reais a hora, receberia de volta alguma gratidão, e não uma porta de carro arrebentada a golpes de salto alto.
Tive vontade de apresentar Roni a tio Fábio e pedir a ele (meu tio) que falasse um pouco a meu amigo sobre a gratidão humana. Tive vontade de falar um pouco do soldado e de Sócrates, do rei assassino e da cicuta. Mas apenas balancei a cabeça numa muda expressão de solidariedade a meu amigo ferido na alma. Roni, refleti, passará a vida inteira atrás de uma ilusão, de uma fantasia tão irreal quanto a espada de Arthur: a gratidão amorosa. O que você possa ter feito de bom a alguém numa relação amorosa não conta no final. O que vale são apenas os crimes, geralmente imaginários, que você cometeu. Não conheço caso de amor que termine com uma declaração sincera de agradecimento pelos serviços prestados.

Roni me contou, em sua estupefação tola, que até em relação ao sexo ouviu palavras que quase o reduzem a um eunuco da corte de Ramsés. “E ela vivia me agradecendo por tê-la ensinado a gozar com penetração”, me repetia ele. “No final me disse que eu não tinha nenhuma imaginação quanto a sexo. Que eu era um idiota sexual.”
O meu ponto é o seguinte: faça sempre tudo que puder por sua namorada, mulher, amante. Tudo. Agrade-a de todas as maneiras possíveis. Flores, beijos, bom sexo, atenção. Dê tudo. Mas jamais cometa o erro fatal do soldado. Não faça nada esperando gratidão. O amor é ingrato como o rei que matou o homem que o salvara da morte.

Fábio Hernandes

Cientistas revelam quais as posições mais perigosas para o homem na hora do sexo       
Cientistas da PUC de Campinas e da Unicamp descobriram que fazer sexo na posição em que a mulher fica por cima é perigoso para os homens. A pesquisa será publicada na edição de fevereiro da revista Advances in Urology.

Segundo o estudo, a posição é a culpada pela metade de todas as fraturas penianas que ocorrem durante o sexo. A posição "cachorrinho" (em que a mulher fica de quatro) é responsável por 29% das lesões, enquanto que a posição em que o homem fica em cima é responsável por apenas 21% das fraturas.

Cientistas definem quais fantasias sexuais são normais
Os pesquisadores levantaram a hipótese de que pode ser perigoso para o homem ter uma mulher com todo o seu peso corporal sobre seu pênis ereto. No entanto, se o homem está por cima, ele tem melhores possibilidades de minimizar dores que podem acontecer em decorrência da movimentação na hora do sexo.

Foram confirmados 42 casos de fraturas penianas em três hospitais de Campinas ao longo de 13 anos. Eles foram avaliados para descobrir qual a causa da lesão.
Vinte e oito homens estavam tendo relações heterossexuais quando ocasionaram a fratura, enquanto seis se machucaram se masturbando e quatro em relações homossexuais. Metade dos pacientes que participaram do estudo ouviu um estalo no momento da lesão. Em seguida, houve inchaço e dor.

Os cientistas tranquilizam quem prefere essa posição "perigosa". Segundo eles, as fraturas penianas são raras. Mas, mesmo que pareça estranho ter uma lesão nessas circunstâncias, os homens devem procurar um médico assim que sentirem alguma dor.

Homem descobre traição e posta investigação em tempo real nas redes
Um homem não identificado descobriu que estava sendo traído pela esposa, e resolveu conversar com a internet sobre o assunto, em tempo real, enquanto investigava a traição.Tudo começou no Reddit (e o nome do fórum escolhido já deveria indicar que não tinha como acabar bem):

Ele começa assim: 'Hoje eu fiz m....., mexi no celular da minha esposa e descobri que ela está me traindo'. Bem, a partir daí a conversa, atualizada por três dias, já tem mais de 5.441 comentários, então vamos resumir: 'Eu e Jenny somos casados há 8 anos. Nos conhecemos quando tínhamos 22, recém formados da universidade. Até aqui, foi maravilhoso, nunca teve nenhuma crise. Bem, ela estava dormindo hoje de manhã quando meu irmão mandou uma mensagem para ela. A mulher dele (Carly) e Jenny estão planejando uma viagem enquanto eu, meu irmão e alguns amigos ficamos aqui no fim de semana, vendo futebol. Ele pediu para Jenny falar com Carly no telefone dele, já que o dela estava quebrado'. 'Eu ia mandar uma mensagem de zueira, para envergonhar Jenny quando ela visse, e para isso li o que eles estavam falando. Foi aí que eu achei, na segunda conversa do topo, a mensagem de um cara chamado 'Zack'. Eu não sabia quem era, mas a coisa mais recente era ele mandando <3 bn (acho que boa noite). Fiquei curioso, então li' '

Era sexo. Ele só falava do que ia fazer quando ela chegasse na cama dele. Tinha também muitas fotos deles pelados, um mandando para outro. Os horários de envio eram entre 1 e 4 da manhã (quando eu estava dormindo do lado dela na cama), então eu sabia que ela estava escondendo'. 'Eu descobri que minha esposa está me traindo

Demorei um pouco pra entender que é o fim do nosso casamento. Todos aqueles momentos felizes, as viagens, as noites românticos, nada disso deve ter significado alguma coisa pra ela. Deixei o telefone na mesa e fui ao banheiro enquanto ela continuava dormindo, ali do meu lado'. Seguindo as recomendações da comunidade do Reddit, ele contratou um advogado especializado em divórcio e um detetive particular para seguir a mulher e sua cunhada no fim de semana 'sozinhas'. Como esperado, sua esposa encontrou Zack no apartamento dele. Mas Carly, sua cunhada, também se encontrou com alguém, e todos foram juntos para um motel.

'16:04, 17/01/2015: Eles chegaram. Zack, Jenny e esse cara estão entrando no motel, Carly está em algum lugar lá dentro. Esse estranho deve ser com quem ela tem um caso.
 '16:11, 17/01/2015: O detetive entrou junto. Jenny pegou uma chave de quarto e os três subiram. Não sabemos o que estão fazendo lá dentro. Acho que vão ficar lá dentro o dia inteiro, e provavelmente dormir.
''16:16, 17/01/2015: Ok, então eles estão lá dentro, provavelmente fazendo sexo. Quero vomitar de pensar na minha esposa fazendo sexo com outro cara, mas estou segurando. O detetive não pode entrar, mas vai ficar de tocaia do lado de fora até de noite para ver se eles vão embora.'A situação piorou quando o nosso contador de histórias disse ao seu irmão o que estava acontecendo. Eles confrontaram suas mulheres quando voltaram

Pelo que disseram, Jenny transou, Carly não, mas ia. Eu não sei o que acreditar. Jenny chorou, me abraçou, chorou no meu peito (e sujou toda a minha camisa). Carly chorou, mas não chegou perto do meu irmão. Acho que ele ficou aliviado com isso. Ele xingou muito por elas terem mentido, depois falou sobre como nos machucaram, e elas choraram mais. Eu estava furioso. Achava que o que tínhamos era maravilhoso.

Perguntei há quanto tempo isso estava rolando. Depois de chorar mais uns minutos, ela disse que eles tinham transado pela primeira vez há algumas semanas. Fiquei destruído, mas entendi que isso é o que ela quer. Quer transar por aí, tudo bem. Só não vai fazer isso casada comigo, eu estou indo embora'.

Integrantes do reddit que estavam seguindo essa verdadeira novela apoiaram a decisão, mas alguns questionaram se a história era real. A resposta dele: 'Se você ainda acha que isso é falso, vá se f..... Não tenho que lidar com vocês, seus m....., já está difícil o bastante'.


O Globo