quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Meu orgulho em ser um dos "cobradores" para que o Carnabidiol fosse aprovado

Olá Amorim Sangue Novo, o Canabidiol foi liberado e você fez história!

Nesta quarta-feira (14), durante reunião deliberativa, nosso abaixo-assinado foi entregue em mãos ao presidente da ANVISA, contendo duas mil páginas e 77 mil assinaturas em favor da liberação do Canabidiol no Brasil. Clique e compartilhe:
Finalmente, como resultado da mobilização de pesquisadores, ativistas, famílias pioneiras no uso do Canabidiol no Brasil pudemos testemunhar que a pressão pode mudar o rumo da história: o CBD foi liberado no Brasil! 
Inúmeras crianças e pessoas com doenças gravíssimas terão a chance de um novo tratamento e quem sabe, de uma nova vida!
Obrigado,
Wiataiana

A sua assinatura contribuiu para esta vitória! Talvez você se interesse em assinar este outro abaixo-assinado para ajudá-lo a também vencer: 

Prefeito Eduardo Paes: Preservação do muro que foi grafitado com o propósito de divulgar a campanha Doe Sangue.

Regina Gonçalves
Rio de Janeiro
Venho por meio deste abaixo-assinado apresentar um pedido para a preservação de uma campanha Doe Sangue.
 No dia 22 de abril de 2014, minha filha, Diana Rosa, estava a comemorar o seu aniversário de 27 anos. Como presente, pediu a ajuda da irmã, Vanessa, marido e mais alguns amigos para a realização de um projeto. Ela queria que todos se reunissem diante de um enorme muro na Rua das  Laranjeiras com esquina Rua Alice - Rio de Janeiro -  a fim de  elaborarem uma arte  com o propósito de incentivar à doação de sangue. Os amigos foram solícitos e junto das irmãs fizeram a arte com destaque aos dizeres: Keep Calm and Doe Sangue”.  Além da arte, também tiveram a  ideia de colocar o telefone e o endereço dos locais para doação, com destaque ao NÚCLEO DE HEMOTERAPIA ZONA SUL - INSTITUTO NACIONAL DE CARDIOLOGIA ( Rua das Laranjeiras 374) que fica bem próximo ao muro.
Obs: Teve aprovação do proprietário do muro para a realização da pintura.
Diana Rosa, moradora do bairro Laranjeiras, fez esta campanha por ter perdido, no ano de 2012, um grande amigo. Ele falecera e uma das complicações fora a falta de suprimento de sangue compatível.

Este grafite foi o último trabalho dela. Alguns dias depois, véspera do Dia das Mães, tive a triste notícia do falecimento de minha filha, da nossa Diana. 
Peço a vocês o apoio a fim de solicitar às autoridades competentes para que o grafite , esta arte, que acima de tudo promove com todo coração a preocupação, o ato de doar sangue e ajudar ao próximo, seja preservado. Como todo grafite, especialmente num lugar nobre da cidade, ele poderia ser apagado, por esta razão solicito preservação  através do Programa Antipichação que estimula a prática do grafite como forma de conscientização.
Agradecendo antecipadamente sua atenção
Regina e família