domingo, 8 de fevereiro de 2015

Diário de um homem que acorda cedo


Meu querido diário hoje é domingo 08/02/15
03h31min – Acordei cedo, pois como sempre acontece, durmo pouco
03h31min – Sentei no "trono", mas como sempre, não consigo fazer cocô, Á noite vou colocar duas ameixas de molho em meio copo de água e amanhã, em jejum, eu bebo a água. (será que o Alckmin vai achar que é desperdício de água e me multar?) É uma beleza para quem tem prisão de ventre.
03h32min – Pelo smarphone, ainda no sentado no “trono” comecei a ler as notícias através dos sites on line. Os meus preferidos são: pela ordem: Diário do Centro do Mundo, Brasil/247, Correio do Brasil, A Tarde, UOL e Estadão, entre outros.
04h32min – Entrei no Facebook, lá encontrei entre diversos vídeos, (orra como estão enchendo o saco com vídeos nas redes sociais), uma mensagem que estou colocando abaixo e, pra preservar a identidade da jovem que a colocou, mudei o nome.
Ahhh... Acho que foi indireta para alguém.
04h36min – Comecei a matutar e não consegui imaginar para quem seria a mensagem.
04h42min –Voltei para a cama, mas nem consegui assistir aos seriados do SBT direito, pois continuava pensando. Quem será?
05h03min – Pensando...
06h03min – Pensando...
07h03min – Pensando...
08h03min – Pensando...
09h49min – Aleluia... (pode até não ser a intenção dela), mas pra mim ela só pode estar se referindo à grandessíssima maioria dos políticos.
Olha diário: Na foto não sou eu, achei esta imagem no http://allanschonfelder.blogspot.com.br


ZMe se sentindo de saco cheio
8 h · 
Gente folgada
Tem gente que sente uma dificuldade imensa em seguir regras. São aquelas pessoas que acreditam estar acima da média, gente com o ego lá nas alturas. Pessoas portadoras da síndrome “sou especial demais”. Os famosos adultos mimados, imaturos. Gente que não se sente na obrigação de cumprir os deveres, como a grande maioria.
O pior é que esses sujeitos estão por todos os lugares querendo, sempre, levar vantagem em tudo. Para essas pessoas sobra cara de pau e falta óleo de peroba. São os metidos a espertalhões. Gente que faz valer a expressão “ jeitinho brasileiro”. Cidadãos transgressores, egocêntricos. Seres que acreditam que o mundo deve girar ou parar de acordo com a sua própria vontade.
Essas figuras me cansam, me chateiam. Afetam o meu bom humor e a minha boa vontade. São pessoas folgadas, que encaram a vida de forma infantil. Gente de caráter frágil, de personalidade duvidosa. São seres emocionalmente prejudiciais.
Lamento que a convivência com esse tipo de pessoa seja inevitável. Como eu disse acima -esses sujeitos estão presentes em todos os lugares, todos mesmo.
Tenho aprendido que para conviver com gente assim é necessário não bater de frente, o que não significa aceitar ou deixar de enxergar o erro. No entanto, pessoas habituadas a não seguir regras custam a mudar, normalmente só mudam quando a vida cobra delas uma postura mais seria e ética.